Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FILOSOFIA

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela.

FILOSOFIA

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela.

04.10.19

Felicidade e Natureza Humana Segundo David Hume


António Pinela

Capa - david hume.jpg

A “felicidade” é um daqueles temas que está pouco tratado entre nós e, contudo, a todos implica. Quem não sente o desejo de viver uma vida tranquila, liberta de preocupações excessivas, plena de satisfação, alegre? O mais taciturno dos homens conduzirá, por certo, a sua vida no sentido da felicidade; a mais maquiavélica das mentes exercitará a sua acção espúria para atingir os objectos da sua paixão; o espírito benfazejo não terá outra coisa em mente senão a felicidade, contribuindo com a sua prática para que os outros a tenham. Numa palavra, todos queremos ser felizes. Esta é a razão do presente trabalho: reflectir sobre a felicidade e natureza humana, ainda que de modo bastante circunscrito.

(…) A primeira parte do trabalho procura explicar que, afinal, a felicidade humana, meta para que todos tendemos, está intimamente relacionada com a nossa conduta, o nosso modo de ser e de estar na vida. (…) São também consideradas como contribuição para a vivência do prazer, as situações de trabalho, de repouso, bem como de saúde. Por último, regista-se que os objectos susceptíveis de proporcionar satisfação ao homem devem procurar-se fora do sujeito da paixão e não, apenas, na esfera do ‘eu’.

A segunda parte centra-se, essencialmente, sobre a paixão e a felicidade (…) No que respeita à primeira questão, constata-se que sem uma vida de paixão não é possível ser feliz, ainda que nem sempre aquela siga o caminho da virtuosidade. De qualquer forma, só é feliz, aquele que efectivamente concretiza as suas tendências, sejam elas virtuosas ou viciosas. Quanto ao segundo tema, Hume crítica, sem contemplação, sábios e filósofos que pretenderam generalizar as suas próprias vivências, tornando-as princípios que outros deveriam seguir, se desejassem a felicidade. (…) Quanto à influência da filosofia, no caminho da felicidade, creio que Hume não rejeita totalmente esta possibilidade, embora vá dizendo que só indirectamente, não como guia, mas como um saber que pode, em algumas circunstâncias, sugerir maneiras de melhorar o aproveitamento dos objectos dos nossos desejos, sem procurar substituí-los nem limitá-los.

António Pinela