Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

FILOSOFIA

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela.

FILOSOFIA

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela.
01.06.20

IMAGENS PERTURBADORAS


António Pinela

AP_78.jpg

Tudo é de esperar em terras do “Tio Trump”.

No decorrer da minha idade, já presenciei (pela leitura, imagem ou som) o desempenho de muitos presidentes dos Estados Unidos da América, desde Dwight D. Eisenhower (presidente de 1953 a 1961) até ao actual.

Não me recordo de tanto incentivo à violência como no mandato deste senhor, em funções. Raramente, Trump faz uma declaração apaziguadora. Ele não tem essa capacidade. Ele adoptou, como princípio de acção política, a máxima:  “Quem não está connosco está contra nosco”.

O Sr. Trump entende que todos devem pensar como ele, porque ele é a luz que ilumina os EUA e o Mundo. E ilumina tanto, que a sua acção apenas se transforma em trevas e se torna perversa. Todos os que não pensam como ele são inimigos dos EUA.

Então, segundo o seu genial pensamento, há que combater o pensamento diferente do seu. Assim sendo, que mais pode gerar aquele cérebro? Violência… e mais violência...

E, queiramos ou não, dá no que dá. Apenas um exemplo: Um polícia americano assassina um ser humano, que já não pode respirar, que pede socorro, sucumbindo sob o jugo deste indivíduo que evidencia tal frieza e irracionalidade, que atormenta a alma humana. Foram cerca de nove (9) minutos de sofrimento e dor.

Policia mata negro.png

Estes actos não enobrecem o povo americano e o grande país que são os EUA.

Mas no 27 de Maio de 2020, um Polícia de Minneapolis estava determinado em contribuir para engrossar a lista negra de assassinatos daquela índole, não se comovendo com as últimas palavras de George Floyd: “Não consigo respirar”, “por favor, não me matem”. Simplesmente, inqualificável, dramático e revoltante.

Como é que este indivíduo teve a coragem de, aos pedidos de socorro, responder com tanta maldade mortífera? De mão no bolso, olhando o rosto de quem agoniza, este polícia, qual defensor de um estado de direito, assiste impavidamente ao sucumbir de um ser humano que está indefeso. Esta criatura desejava messmo tirar a vida à sua presa!

Tanta maldade, tanta crueldade pode existir num indivíduo que, por princípio, veste uma farda que representa a segurança dos cidadãos do seu país! Repare-se na sua expressão, ele compraz-se com a dor que exala daquele corpo muribundo.

Para onde caminha este nosso mundo?

Filósofos de todo o mundo bramem bem alto que o rei vai nu. Não se deixem agarrar pelo poder, pelo luxo e pela usura. Oiçam Sócrates que morreu pela verdade, pela liberdade de direitos e de deveres, lutando contra a tirania, a ignorância e o oportunismo. Lembrem Giordano Bruno que morreu queimado, numa pira,  por defender a liberdade das ideias. Recordem Galileu que lutou pela verdade da ciência e foi condenado a desdizer o seu próprio pensamento e ostracizado pelo clero do seu tempo, morrendo na miséria.

Não devemos ignorar a História e o que dentro dela está.

Todos os pensadores, das mais diversas áreas, não podem ficar calados perante os desvios, cada vez mais acentuados, à condição humana. O tempo hodierno está a aviltar o humano no homem. E conclui-se que o que importa é o “salve-se que puder”, o momento, o oportunismo. Até onde iremos?

(01.06.2020)

António Pinela, Reflexões.

1 comentário

Comentar post