Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FILOSOFIA

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela.

FILOSOFIA

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela.

Essência da Religião 02

18.09.19, António Pinela
A religião emerge de contextos culturais específicos. Antes de se considerar o homem como um ser religioso, ele é um ser natural que, lenta e progressivamente, vai sendo aculturado. Assim, empregando uma terminologia clássica, o homem pode ser definido como animal racional (porque dotado de razão), como animal político (porque é um ser gregário que vive em sociedade), mas também pode definir-se como animal religioso (porque os valores religiosos lhe são essenciais). Não se (...)

A essência da religião e os oportunismos

25.05.13, António Pinela
A religião emerge de contextos culturais específicos. Com efeito, antes de se considerar o homem como um ser religioso, ele é um ser natural que, lenta e progressivamente, vai sendo aculturado. Assim, empregando uma terminologia clássica, o homem pode ser definido como animal racional (porque dotado de razão), como animal político (porque é um ser gregário que vive em sociedade), mas também pode definir-se como animal religioso (porque os valores religiosos lhe são essenciais). A (...)

Filosofia, fé e felicidade II

26.02.08, António Pinela
Santo Agostinho dispõe-se a percorrer o longo e árduo caminho que o separa desde o sentimento do abalo interior até à meta desejada, isto é, a tranquilidade do seu ser em Deus. Para tanto, no caminhar do percurso, há que superar e vencer o obstáculo que representa o corpo, sempre atreito a muitos vícios. Como superar tais enfermidades? É através do método da interioridade, a fim de se conhecer a si mesmo, recolhendo-se das coisas sensíveis, que o homem consegue a libertação (...)

Filosofia, fé e felicidade - I

12.02.08, António Pinela
Todos queremos ser felizes, é uma asserção indesmentível. Por exemplo, Santo Agostinho procurou e encontrou a felicidade em Deus, outros pensam encontrar aquele bem espiritual em outros objectivos. Santo Agostinho não prejudicou ninguém com a sua escolha; poder-se-á dizer o mesmo de outras pessoas que querem ser felizes? Um breve olhar pelo que se passa à nossa volta dir-nos-á que não, que há quem não olhe a meios para alcançar a felicidade, mesmo que a sua felicidade espalhe (...)