Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

FILOSOFIA

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela.

FILOSOFIA

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela.

Dar passos maiores do que a perna

09.09.17, António Pinela
O PCP e o BE não gostaram de ouvir de António Costa que não é possível “dar passos maiores do que a perna”, reportando-se ao Orçamento de Estado para 2018. Provavelmente, tanto Jerónimo de Sousa como Catarina Martins ainda não intuíram da possibilidade de António Costa também não gostar de ouvir algumas [muitas] coisas que dizem, no que respeito diz à sua governação. Quem ouvir, por exemplo, Catarina Martins, no seu afã de mostrar protagonismo, fica com a sensação (...)

Que falta vender em Portugal?

16.06.15, António Pinela
Passos Coelho e Paulo Portas vendem tudo, mas sobretudo vendem o que não é deles. O que já venderam era, e o que estão para vender é de todos os portugueses; logo, à luz das minhas leis, porque Portugal também é meu, cometeram e cometem ilegalidades.Mas antes de avançar na minha reflexão, deixo a seguinte pergunta aos meus leitores: Porque será que tudo o que este governo põe à venda tem muitos interessados? É que o governo diz que as empresas do Estado dão prejuízo, têm (...)

Idosos de Portugal, uni-vos!

11.05.13, António Pinela
Para as suas poupanças, este governo (de Passos/PSD – Portas/CDS) corta em tudo o que ainda mexe. Mas quem mais tem sofrido com esta ferocidade destruidora têm sido os funcionários públicos e os reformados e pensionistas. Então, os pensionistas, que já são velhos, dão trabalho e, amiúde, adoecem, e não têm poder reivindicativo, têm sido o “bode expiatório” desta governança social-democrata/democrata cristã. Ao ouvir estes senhores, ficamos a saber que, para eles, os (...)

Um enorme buraco chamado swap

30.04.13, António Pinela
Mais um enorme buraco. O poder financeiro e a incompetência agridem, sem descanso, o Estado Português, lesam os portugueses, sempre em favor dos mesmos – os ricos, os especuladores – aqueles que se sentam à mesa do Orçamento do Estado. As notícias que vêm a público são de arrepiar o cabelo. Dizem aquelas, que pululam pelos meios de comunicação tradicional e pela Net, que algumas empresas públicas (mais de uma dezena) pagaram ou estão a pagar juros superiores a 20 %, por (...)